Em Carambeí a Prefeitura proibiu funcionamento da termoelétrica Synergia, que operava no município sem a devida documentação legal.

0
445

A Prefeitura Municipal de Carambeí emitiu um auto de interdição e lacração, no dia 19 de novembro, a fim de que fossem cessadas as atividades da termoelétrica Synergia, que operava no município sem a devida documentação legal. A empresa atuava sem o laudo de vistoria do Corpo de Bombeiros e estava, portanto, em termos irregulares com a Prefeitura.

Já no dia 10 de setembro, a Prefeitura havia notificado a termoelétrica para a apresentação dos documentos que regularizasse a situação da empresa, com o prazo de quinze dias para cumprimento das normas. Entretanto, a Synergia se manifestou somente no dia 09 de outubro, quase um mês após o prazo imposto pelo órgão público.

De acordo com o Diretor do Departamento de Tributação, Lucas Fernandes de Oliveira, após várias reclamações de populares, o município buscou solucionar a questão de forma amistosa e recomendou as adequações a fim de que o empreendimento continuasse em funcionamento, entretanto tais recomendações não foram cumpridas.

A população local também vinha contestando a termoelétrica devido a emissão de fumaça e fuligem vindas da empresa. Sendo assim, no dia 12 de novembro, o Ministério Público do Paraná enviou uma notificação extrajudicial, onde recomendava a paralisação das atividades da Synergia, devido às condições que estavam operando.

A termoelétrica Synergia fabrica e comercializa energia e exercia suas atividades no município de Carambeí há cinco meses.

Com informações da Assessoria e Portal Arede.

Curta a página STIVE Notícias no Facebook.

PUBLICIDADE